A arte aclamada mundialmente da brasileira Beatriz Milhazes

Hello! How are you? Hoje tive a ideia de conversar com vocês sobre o trabalho de uma das maiores artistas contemporâneas do Brasil: Beatriz Milhazes. Natural do Rio de Janeiro (1960), tem formação em Comunicação Social e Artes Plásticas, onde se dedicou a muitas atividades culturais e a lecionar. A artista se dedica a pintura, gravura e ilustração.

Dando bastante destaque nas cores e nas formas circulares, seus trabalhos seguem os padrões ornamentais que encontramos no estilo Art Déco. Suas obras também fazem referência ao artesanato brasileiro, com elementos como rendas e bordados que complementam todas as cores utilizadas pela artista, dando ao expectador a impressão de uma obra com diferentes relevos e texturas. Em muitas obras, a artista faz colagens sucessivas, aplicando imagens sobre a tela utilizando um tipo de plástico transparente.

Obra O Mágico, de Beatriz Milhazes (Imagem: Reprodução)

Em 1984, Beatriz Milhazes participou da mostra “Como Vai Você, Geração 80?”, que reuniu 123 artistas, na qual o trabalho da artista chamou a atenção por seu estilo único e o uso dos materiais. Nos anos 90, dedicou-se também à gravura e à ilustração, em 1962, ilustrou o livro “As Mil e Uma Noites à Luz do Dia: Sherazade Conta Histórias Árabes”, de Katia Canton.

Meu Limão, de Beatriz Milhazes, uma das obras mais caras de um artista brasileiro (Imagem: Reprodução)

Com um trabalho que impressiona aqueles que apreciam a arte por todo o mundo, Beatriz Milhazes se consagra como uma das artistas brasileiras com maior reconhecimento internacional, com uma vasta trajetória no exterior, que começou também no início da década de 90. Defende liberdade de criação artística e o direito de produzir arte independente de posicionamentos políticos ou de limitação de temas.
Hoje, a artista se dedica a diversos projetos internacionais e em expandir a sua arte para além de museus e galerias, levando a criatividade para grandes espaços em cidades como Nova York e Londres.
Vamos às dicas de hoje?
Exposição Alex Állen
Exposição Profusão de Cores, na Montmartre até o dia 5 de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *